quarta-feira, 26 de julho de 2017

Sempre coniventes com os criminosos nazissionistas.

A media é o asco que nos assola, o vómito que nos repugna, esconde ou incita o crime consoante lhe convém, é o imperialismo mascarado de libertador, a peste que apadrinha na Palestina os campos de morte lenta,  a Auschwitz sionista.

Os nazissionistas (aqui) atropelam hora a hora os mais elementares direitos humanos e os tratados internacionais, e no entanto toda a escumalha mediática assobia para o lado e mostra-nos a sua criminosa ação na Venezuela como do governo venezuelano se tratasse.

Não se mata só à bala ou com qualquer arma contundente, os meios de comunicação associal arrasam cérebros e incitam multidões ao ódio e ao crime, a media é a bomba que transforma os humanos em zombies conduzindo-os a seu belo prazer.
O Povo Palestino é o mais nobre exemplo da heroicidade a que é capaz o seu humano.

E os judeus onde quer que se encontrem, tal como os alemães na segunda guerra mundial, com o seu silêncio também são coniventes.

segunda-feira, 24 de julho de 2017

E se fosse na Venezuela?

Estas notícias são de ontem 23-07-2017, surgem como que envergonhadas entre muitas outras que acontecem por todo o mundo, mas o que há a destacar são as maldades do vil Maduro na Venezuela onde os americães lançam as garras.
 
Inabitável porquê? Quem lhes corta a electricidade e a água? Há que esconder ou não denunciar os criminosos nazissionistas e os seus americães de guarda.
 

A Polónia da democrática UE demite todos os juízes do Supremo para colocar a justiça à trela do chefe de Estado.
E se fosse na Venezuela?


“França. Macron quer estender estado de emergência. O novo governo francês quer pôr fim ao estado de emergência no país com uma nova lei antiterrorista criticada como “um estado de exceção permanente”.”

Na França é normal.
E se fosse na Venezuela?


No Egipto as condenações à morte por motivos políticos são por atacado, chegam a ser às centenas, repito, às centenas, mas o Egipto é o país que mais armas compra aos americães.
E se fosse na Venezuela?

Os meios de comunicação associal são armas de terror dirigidas e financiadas por criminosos que destroem ou sonegam, consoante os seus interesses, o acesso à verdade.